sábado, 14 de janeiro de 2017

Crítica de Cinema: Trolls


Título: Trolls
Título Original: Trolls
Dubladores Principais: Anna Kendrick, Justin Timberlake
Gênero: Animação musical
Direção: Mike Mitchell, Walt Dohrn
Duração: 1h33min
Lançamento: 27 de outubro de 2016
País: Estados Unidos
Avaliação:  

Sinopse: Ramo (Justin Timberlake) parte para uma jornada de descobertas e aventuras ao lado de Poppy (Anna Kendrick), líder dos Trolls. Inicialmente inimigos, conforme os desafios são superados eles descobrem que no fundo combinam.

Crítica: Trolls foi lançado em outubro do ano passado, mas eu esperei até agora pra ver porque eu queria muito assistir com o áudio original, já que os personagens principais são dublados pela Anna Kendrick e o Justin Timberlake, e aqui no Brasil é quase impossível ver uma animação legendada nos cinemas. A espera valeu a pena e o filme muito mais que superou minhas expectativas.


O filme conta a história dos trolls (sim, aqueles bonequinhos super famosos nos anos 80/90), seres pequenos e fofos que passam a vida cantando, dançando e abraçando, eles costumavam morar numa árvore da felicidade, mas depois que os bergens, criaturas feias e infelizes, descobriram que comendo trolls eles conseguiam ser felizes, eles criaram o Trollstício, um dia especial no ano onde eles comiam trolls e eram felizes. No dia em que o príncipe dos bergens comeria ser primeiro troll, que por acaso seria a princesa troll Poppy, os trolls armaram um plano e conseguiram  fugir da cidade e procuraram um novo lugar para morar. A chef dos bergens foi considerada a culpada pela fuga e foi expulsa da cidade, e jurou que acharia os trolls e retornaria pra virar rainha da cidade.


Vinte anos se passaram e os bergens são lembranças antigas na nova vila troll, onde todos pretendem comemorar o aniversario de sua fuga com a maior, mais barulhenta e louca festa já vista. O único que é contra a festa é Tronco, um troll meio eremita que não gosta de festas e esta sempre a postos esperando a vila ser novamente atacada pelos bergens. Ninguém nunca dá bola pra ele, mas as atrações da festa acabam chamando a atenção da chef, que leva todos os amigos da princesa Poppy embora. Otimista para salvar seus amigos, a princesa levar todos os outros moradores da vila para se esconder no banker do Tronco, e convence o mal humorado troll a ajuda-la a resgatar seus amigos no palácio do do jovem rei Gristle.


A jornada em si já é muito difícil, mas apesar do pessimismo de Tronco, Poppy não se deixa abalar e faz de tudo para salvar seus amigos, e consegue, mas no decorrer do caminho um fica pra trás. Creek, o crush da princesa, acaba sendo leva para ser comido pelo agora rei Gristle, mas Poppy não se da por vencida. Com a ajuda da jovem bergen Bridget, que sempre foi apaixonada pelo reizinho, os trolls vão tentar salvar seu povo, ensinar aos bergens como encontrar a felicidade, e Poppy vai lembrar ao próprio troll Tronco que ainda vale a pena ser feliz.

Trolls foi com certeza uma das minhas animações preferidas dos últimos tempos, foi muito bem animada, em praticamente todas as cenas tem músicas cantadas pelos trolls, todas clássicos dos anos 80 na voz de Anna Kendrick, Justin Timberlanke, Zooey Deschanel, Ariana Grande e muito mais, que me fizeram passar o filme toda meio dançando. Toda a trilha sonora está disponível no Spotify.



O filme ainda foi super fofo, passando uma mensagem que a felicidade está sempre dentro de nós  e nós só precisamos ajuda para acha-lá as vezes. Eu fiquei pasma como o filme me impressionou na qualidade da animação, da história e das músicas, já que eu assisti no mesmo dia em que assisti Sing - Quem quanta seus males espanta, uma animação musical que eu estava muito mais animada pra assistir, mas que apesar de boa, não chegou nas minhas expectativas, enquanto Trolls foi tudo o que se pode querer em uma boa animação. Da vila troll e a cidade bergen ao romance do casal principal e suas personalidades totalmente diferentes, o filme cria mágica na tela e contagia a todos, e a quem poder, vale muito a pena assistir com o áudio original.

Veja o trailer:

Nenhum comentário:

Postar um comentário