sábado, 23 de abril de 2016

Crítica de Cinema: Mogli - O Menino Lobo

Título: Mogli - Menino Lobo
Título Original: The Jungle Book
Atores Principais: Neel Sethi, Bull Murray, Ben Kingsley, Idris Alba, Lupita Nyong'o e Scarlett Johansson 
Gênero: Fantasia
Direção: John Favreau
Duração: 1h45min
Lançamento: 14 de abril de 2016
País: Estados Unidos

Avaliação: ✩ 

Sinopse: Mogli é um menino indiano que foi criado pelo lobos na floresta. Quando eles sabem da presença do tigre Shere Kahn que ameaça a vida do menino, resolvem mandá-lo para uma tribo humana. No caminho, ele encontrará diversos outros animais, como o urso o urso Baloo, que junto com a pantera Bagheera o ajudam em sua aventura. Baseado na série literária de Rudyard Kipling.

Crítica: Mogli não era nem de longe meu filme da Disney favorito da infância, se não fosse por um inverno quando eu tinha 7 anos em que eu fiz uma lista de todos (ou pelo menos o que na época pra mim eram todos) filmes da Disney e passei as próximas 4 semanas alugando uns 5 por semana eu provavelmente nem teria assistido. Minha única lembrança do filme era a música "Somente o Necessário", provavelmente uma das melhores da Disney.
"Hibernar? Urso não hibernam na selva!"
"Não hibernação completa, mas eu cochilo... Bastante." 

Por isso, não estava muito animada para a versão Live Action, mas as vozes que dublariam os animais me animaram bastante, todos os escolhidos foram atores conhecidos e consagrados. Me surpreendi muito com o filme! Assim como está acontecendo com a maioria dos filmes que a Disney está trazendo nesse formato, grande parte da história foi mudada em relação a sua versão anterior.


Na animação da Disney de 1967 todo o perigo da história se passa ao longe, Mogli só vem a conhecer Shere Kahn quase ao final do filme, até mesmo Rei Louis é bem mais simpático, e a história acaba fugindo bastante do plot de O livro da Selva de Rudyard Kipling. 
Isso não acontece no filme de 2016. A história foi bem fiel a vários momentos do livro, muitos deles que não aparecem na animação, como a estiagem que levou Mogli a se encontrar com o tigre que busca vingança, o que dá mais profundidade a história. Baloo, como na animação, rouba a cena e vira a parte preferida do filme, e o momento em que o urso bobalhão e o menino lobo canta a famosa música "Somente o Necessário" no rio fará qualquer Disney Lover sentir uma onda de nostalgia.

A dublagem está muito boa, da voz envolvente da Scarlett Johansson, que com certeza também me hipnotizaria, ao jeito engraçado de Bill Murray que se encaixa com Baloo e com Idris Albas sendo perfeito como a voz do vingativo e malvado Shere Kahn.
"Agora, essa é a Leia da Selva, tão antiga e verdadeira quanto o céu,
E o lobo que mantê-la irá prosperar, mas o lobo que quebrá-la irá morrer.

Como a trepadeira que envolve o tronco das árvores, a lei tem uma única medida, 

A força da alcatéia é o lobo, e a força do lobo é a alcatéia."
Com animais feitos de CGI de forma tão fantástica que você esquece que não são reais, vozes envolventes dos dubladores, a atuação carismática do pequeno Neel Sethi e uma história que traz uma mensagem de amizade e união apesar das diferenças, Mogli entrou pra lista de sucessos da Disney em Live Action, ao lado de Malévola (2014) e Cinderela (2015). Agora nos resta esperar A Bela e a Fera, próxima produção desse gênero da Disney, que tem previsão para 2017.



Pra quem ainda não assistiu, veja o trailer desse novo sucesso da Disney:


Nenhum comentário:

Postar um comentário